III_encostadasManhã cedo, reuniram-se os motards em grande número junto ao café Choupal para a III edição do "Passeio das Encostadas", organizado pela secção do Futsal da ACD Igreja Velha.

O céu estava encoberto mas a temperatura estava agradável. Inscrições feitas e lá arrancaram 85 motorizadas (outras nem tanto...) a deitar suaves nuvens brancas pelos escapes. A pegada ecológica ficou de folga. A "música" feita pelos escapes era também ela muito suave, afinal de contas as motorizadas sempre foram conhecidas pelo seu silêncio a trabalhar.

A primeira paragem foi apenas alguns quilómetros depois do arranque. As motas não andam a ar e têm de ser abastecidas de combustível apropriado para a viagem.

E lá foi a comitiva, apitando e saudando aos que os viam passar, com um sorriso de admiração e de saudade em muitos deles.

As maquinas iam-se aguentando, umas melhor outras pior. Nas subidas, muitas lembravam os donos que estes já não pesam o mesmo que antigamente, que estão velhotas e cansadas para alinharem em grandes aventuras. Naturalmente, adensava-se a referida nuvem branca nas subidas.

A meio da manhã, e já com o sol a marcar presença no passeio, chegou-se ao parque de merendas onde se tomou o pequeno almoço: ovos, queijo, fiambre, atum com cebola, febras das boas, minis e vinho tinto. Sim, também havia águas e sumos.

Merenda feita, segui-se o caminho de regresso, mas desta vez por outras paragens.

Pelo caminho algumas motas entregaram a alma ao criador, ou, se achar que o divino não é para aqui chamado, ao mecânico que as for ressuscitar. Prontamente foram ajudadas, e aos donos, colocando-as numa espécie de ambulância que as traria de volta: a carrinha vassoura.

A meio do regresso fez-se outra paragem que isto de andar de mota faz muita fome e dá muita sede. Mais dois dedos de conversa e regressou-se à sede da associação, sem mais paragens, programadas, até à chegada.

Pouco depois da uma da tarde chegou então o grupo ao destino, para enorme alívio das "martirizadas".

Sentaram-se todos à mesa, com pulseirinha verde no pulso e tudo.

Ao almoço fizeram os agradecimentos da praxe e informou-se os presentes que o encontro ainda tinha mais um lanche e uma prova de perícia. Se se tivesse feito silêncio nessa altura seria possível ouvir algumas das motas a dizer mal da vida em sussurro.

Entregaram-se ainda dois prémios: para a Vespa mais antiga e para a motorizada mais antiga, que contava com quase 70 primaveras (1942).

Depois do almoço seguiu-se então a prova de perícia, no Troncão Parque. Nem todos se arriscaram, temendo uma aproximação demasiado rápida com o pó do chão, como por exemplo este vosso escriba.

Pouco depois das 5 da tarde chegou o lanche, em forma de sardinhada. E que boas que estavam!

E assim foi mais um encontro de encostadas, com a boa disposição a reinar.

Já podem ir descansar mais um aninho, senhoras encostadas.

Veja a Galeira de Fotos do passeio!

galeria

cong tachada

cong tachada

  • 13122893_1121641351208914_4770231969906573332_o_1121641351208914
  • 13113015_1121641411208908_9014479426463707851_o_1121641411208908
  • 13147286_1121642217875494_6415164812946538501_o_1121642217875494
  • 13131037_1121641361208913_2384816634054578770_o_1121641361208913
  • 13147480_1121641664542216_7635592744276046585_o_1121641664542216

cong tachada